#053 – Auditorias Remotas com Rogério Meira

#053 – Auditorias Remotas com Rogério Meira

Esse podcast é para você que quer compreender os desafios da auditoria remota!

Mande suas dúvidas ou comentários por Whatsapp ou Telegram pelo número: (43) 9 9822-0077, ou pelo e-mail: contato@qualicast.com.br

Links citados no Podcast

Apresentação

Neste episódio, nossos Qualicasters Jeison Arenhart e Monise Carla conversaram com o Rogério Campos Meira, (da ATSG) sobre um assunto que tem gerado muitas dúvidas: auditorias remotas! Vamos acompanhar melhor esse bate papo?

Tema: Auditorias Remotas

De onde vem as Auditorias Remotas?

  • Por incrível que pareça, auditoria remota não é algo novo. Ela “existe” desde 2011! 
  • Normalmente, achávamos que isso iria acontecer num futuro distante.
  • Auditorias é operacional, tático ou estratégico? Uma auditoria, quando bem feita, acaba sendo tanto operacional, quanto tática e estratégica, pois esses três pilares estão interligados, um dependendo do outro!

Princípios de Auditoria (remota)

Integridade

  • Se você entra em um processo de auditoria, seja presencial ou remota, a sinceridade e integridade deve estar a frente de qualquer coisa. Não é válido fingir que seus processos estão bons, que você está cumprindo determinada norma, sendo que, o primeiro princípio da auditoria é a integridade tanto do auditor quanto do auditado. Ou seja, o auditado deve “mostrar a vida com ela é”, e o auditor deve procurar entender.
  • Não é porque a auditoria é remota, significa que ela não tem importância. Vemos muitas pessoas realizando a auditoria remota com o propósito de “cumprir tabela” e depois, quando passar o COVID 19, realizar a auditoria “verdadeira”. 
  • A única diferença é na forma que está acontecendo a auditoria, a integridade no processo deve ser a mesma.

Apresentação justa

  • Esse segundo princípio, em que o próprio nome deixa muito claro qual o objetivo dele, é sobre mostrar com veracidade os processos. Fazer uma apresentação verdadeira e justa de indicadores, amostras, projetos, etc. 

Devido cuidado profissional

  • Nesse terceiro princípio, podemos buscar as questões que são mais delicadas, como por exemplo: O auditor pode aceitar documentos enviados por whatsapp, telegram? No contexto presencial, ao terminar uma auditoria, o mesmo não pode portar nenhum documento da empresa.
  • O auditor deve ter um julgamento ponderado diante dos processos, ou seja, não se precipitar, procurar entender a realidade da empresa, não fazer pré-julgamentos. 

Confidencialidade

  • Esse princípio está muito interligado com o princípio anterior. Tanto o auditor quanto ou auditado devem manter a confidencialidade dos processos, dos documentos e das informações profissionais e pessoais que foram trocadas. 

Independência 

  • Esse quinto princípio está altamente ligado ao ato de ser imparcial durante as auditorias, de ter objetividade e mantê-las em níveis elevados e por fim, o auditor manter a independência durante a auditoria.

Abordagem baseada em evidência

  • Mesmo não fazendo uma auditoria presencial, o auditor deve redobrar a atenção para encontrar evidência nos processos apresentados e buscar evidências já adotando uma abordagem de riscos

Abordagem baseada em risco

  • Todos os princípios estão muito ligados, porém, a abordagem baseada em evidências está muito interligada a abordagem baseada em riscos, pois ao buscar uma evidência, o auditor já deve coletar uma abordagem de risco.

Pontos de atenção para que auditorias continuem entregando resultados

  • Se você for o auditor ou até mesmo o auditado, esses pontos de atenção são válidos e devem ser levados em consideração:
  • A pandemia do COVID-19 não mudou apenas a forma de se auditar, mas mudou o contexto interno de várias empresas e de várias maneiras, como por exemplo, centenas de empresas mandaram os colaboradores para home office. Não devemos olhar os processos com os mesmos olhos de fevereiro de 2020, tanto o auditor quanto o auditado devem levar em conta essa mudança de cenário. 
  • A preocupação com a auditoria remota deve estar muito ligada com o “mostrar o conteúdo de verdade”, ou seja, quais serão os processos que devemos mostrar, qual a melhor forma de explicar e expor isso, etc.

Gestão de mudanças em 3 estágios

  • A Gestão de mudanças é muito importante no dia a dia, mas nesse momento, ela quase que se torna um requisito. Existem três estágios de gestão nas empresas, são eles:
    • Gestão de riscos e mudanças: Essas são as condições normais de gestão de riscos e mudanças.
    • ISO 22301 – Continuidade de Negócios: Esse estágio se preocupa com grandes eventos que podem impactar direta ou indiretamente seu negócio. 
    • Crises: Esse estágio fala sobre algo que comentamos muito aqui no Qualicast: adaptabilidade. Ou seja, com ou sem pandemia, devemos ajustar e adaptar nossos processos, projetos e entregas para que possamos continuar entregando com integridade nossos produtos ou serviços. Essas crises podem sim acabar com o nosso negócio caso não consigamos lidar com as mudanças. A norma 17091, Europeia, criada em 2018 sobre Gestão de Crises, trata sobre esse tema.
  • Deve-se garantir que o cliente continue recebendo o produto ou serviço com integridade e qualidade que ele estava acostumado a receber, e se possível, poder entregar melhor do que antes para os clientes.

NOVIDADE!

Envie um áudio pra gente por por Whatsapp e Telegram pelo número: (43) 9 9822-0077 e se usarmos seu áudio no programa, você ganhará nossos stickers!

 

Imagem dos Stickers que o pessoal do Qualicast envia para os ouvintes.

clique aqui para ler o roteiro completo

Leave a Comment